Resíduos Sólidos Municipais como Fonte de Energia Renovável

  • Os resíduos sólidos municipais são utilizados em várias indústrias que requerem energia intensiva como combustível alternativo
  • A fração de biomassa dos RSMs é determinada através do uso do método ASTM D6866
  • A Beta Analytic continua prestando serviços de análise pelo método ASTM D6866 aos usuários de RSMs

Municipal Solid Waste for ASTM D6866-06 testing
Comumente conhecidos como lixo, os Resíduos Sólidos Municipais (RSMs) são “quaisquer resíduos sólidos domésticos, comerciais/de lojas e/ou institucionais”, de acordo com a Agência de Proteção Ambiental dos EUA. Os RSMs consitem de itens de uso diário, tais como o papel, a grama cortada, os sacos plásticos, os móveis, as roupas, as garrafas, a borracha, os metais, os restos de alimentos, as tintas e baterias. Os RSMs não provêm apenas de fontes residenciais, mas também comerciais (prédios de escritório, lojas e estabelecimentos comerciais e restaurantes), institucionais (bibliotecas, escolas, hospitais e prisões), e industriais (embalagens e materiais administrativos). A maior parte dos resíduos classificados como RSM não é perigosa.

Como parte de seus programas de manejo de resíduos sólidos, vários estados nos EUA estão promovendo a diminuição dos resíduos na fonte, a reciclagem e a compostagem para diminuir os aterros sanitários. Vários estados também passaram a proibir a eliminação de determinados materiais, tais como folhas, grama cortada, resíduos domésticos em geral, papel usado em escritórios e computadores, jornais, papelão ondulado, cartão, vidro, plástico, alumínio e recipientes de aço. É proibido colocar estes materiais no lixo.

Muitas instalações consomem os RSMs em altas temperaturas não apenas para diminuir o seu volume de resíduos, mas também para gerar eletricidade. Apesar de não ser a estratégia mais ambientalmente saudável para os RSMs, a combustão dos mesmos é preferida pela APA dos EUA no que diz respeito à recuperação de energia, quando comparada com os aterros sanitários e a incineração sem a recuperação de energia.

Uso do Método ASTM D6866 para Testar os RSMs

Em suas normas de prestação obrigatória de contas relacionadas aos gases de efeito estufa, a APA dos EUA afirma que as instalações que consomem RSMs devem usar o método ASTM D6866 para determinar a porção biogênica de suas emissões de dióxido de carbono.

Os Requisitos Essenciais para a Prestação Obrigatória de Contas, elaborados pela Iniciativa Ocidental do Clima também requerem que o teste pelo método ASTM D6866 seja feito para medir a porcentagem de biomassa do dióxido de carbono emitido pelas unidades gerais estacionárias de combustão que usam misturas de combustíves e combustíveis derivados de resíduos. Esta norma também inclui os RSMs, os quais a IOC considera um combustível derivado de resíduos.

Semelhantemente, a norma conhecida como “Califórnia AB32” recomenda o uso do método ASTM D6866 na verificação do conteúdo de biomassa das emissões produzidas pelas unidades gerais estacionárias de combustão nas indústrias de cimento e geração de eletricidade. A Califórnia é membra da IOC.

A metodologia do Mecanismo de Desenvolvimento Limpo da ONU, conhecida como AM0025, também requer que os gestores de projetos de manejo de resíduos sólidos usem o método ASTM D6866 para estimar a porcentagem de carbono fóssil dos combustíveis derivados de resíduos, tais como os resíduos sólidos municipais.

Energia Renovável Procedente de Resíduos

Quando os RSMs são incinerados em altas temperaturas, a energia é produzida e recuperada na forma de calor ou vapor. A quantidade de energia produzida pela incineração dos RSMs não é fixa e depende da composição dos resíduos. Os componentes não biogênicos dos RSMs, tais como os plásticos, costumam ter um conteúdo de calor mais alto por unidade de peso do que os materiais biogênicos como o papel.

De acordo com o relatório da “U.S. Energy Information Administration”, o qual foi publicado em maio de 2007, o conteúdo de energia dos RSMs (expresso em Btu por ton) tem aumentado gradualmente ao longo do tempo, enquanto a porcentagem do conteúdo total de energia proveniente de recursos biogênicos tem diminuído. Este aumento no conteúdo total de energia é atribuído ao maior volume de plásticos e outros materiais não biogênicos entre os resíduos. A energia procedente de recursos biogênicos diminuiu não apenas por causa do maior volume de plásticos, mas também porque o papel e o papelão, que representavam uma alta porcentagem entre os RSMs no passado, hoje em dia estão sendo reciclados, ao invés de serem incinerados.

Tendências à parte, uma parcela significativa dos RSMs ainda é constituída de biomassa e, assim, os mesmos continuam sendo uma boa fonte de energia renovável. Muitos órgãos de regulamentação, incluindo a APA, consideram que energia procedente da fração biogênica dos RSMs como renovável.

Outros Combustíveis Alternativos

Combustíveis Derivados de Resíduos

Combustíveis Derivados de Pneus

Lodos de Esgoto

Serviços ASTM D6866 da Beta Analytic

Com padrão de certificação ISO/IEC 17025:2005 e sediada em Miami, na Flórida, a Beta Analytic tem o compromisso de ajudar as empresas no cumprimento de regulamentos, tais como as normas de prestação de contas obrigatórias da APA dos EUA ou as iniciativas do Esquema de Comércio de Emissões da União Européia. As empresas que consomem os RSMs precisam determinar a fração de biomassa de suas emissões ou dos combustíveis sólidos porque o CO2 biogênico pode ser deduzido de seus inventários de emissões de gases de efeito estufa, de acordo com a maioria dos protocolos. Sediada em Miami, na Flórida, a Beta Analytic tem escritórios no Reino Unido, no Japão e na China.