Beta Analytic – Por que não aceitamos amostras com carbono-14 marcado

O Beta Analytic é acreditado pela norma ISO/IEC 17025:2017 e é livre de isótopos marcados. Não aceitamos amostras farmacêuticas com “carbono-14 marcado” e outros materiais que contenham carbono-14 artificial, com a finalidade de eliminar o risco de contaminação cruzada. Amostras que foram artificialmente enriquecidas com carbono-12, carbono-13 e quaisquer outros isótopos tampouco são aceitas para análise, pois podem danificar os equipamentos do laboratório. Esta política é parte do nosso compromisso de fornecer resultados de alta qualidade para todos os nossos clientes.

Empresas farmacêuticas avaliam o metabolismo de medicamentos com versões radiomarcadas da droga que está sendo pesquisada. Laboratórios biomédicos de espectrometria de massas com aceleradores (AMS) usam o carbono-14 como traçador porque ele pode facilmente substituir os átomos de carbono-12 na molécula da droga, e é de manuseio relativamente seguro. No entanto, como o carbono-14 artificial usado nesses estudos é exponencialmente alto em comparação aos níveis naturais do isótopo, e pelo fato de que se torna onipresente uma vez usado em um laboratório de AMS, não se pode evitar a contaminação cruzada no espectrômetro e nas linhas químicas. Isso pode ser aceitável em instalações de AMS biomédicas, mas não é aceitável em um laboratório de datação por radiocarbono.

Aproveite a nossa experiência:

– O Beta Analytic foi um dos desenvolvedores chave do método ASTM D6866 e serviu como consultor técnico para todas as principais iniciativas mundiais de padronização de carbono biobaseado, inclusive dos métodos europeus CEN 16137 e EN 15440;

– O laboratório é acreditado pela norma ISO/IEC 17025:2017 e, desde 1979, é líder em medições de carbono-14;

– O Beta Analytic tem experiência inigualável com amostras biobaseadas complexas.

Livre de exposição a carbono-14 artificial

De acordo com a ASTM International, a norma ASTM D6866 se aplica a laboratórios que trabalham sem a exposição a carbono-14 artificial, que é rotineiramente usado em estudos biomédicos. O carbono-14 artificial pode existir dentro de um laboratório em níveis mil ou mais vezes maiores do que materiais que são 100% biobaseados, e 100 mil vezes maiores do que materiais que são 1% biobaseados. Uma vez dentro de um laboratório, o carbono-14 artificial pode tornar-se indelevelmente onipresente em materiais e outras superfícies. Ele pode contaminar de forma aleatória uma amostra desconhecida, o que provoca resultados de carbono biobaseado imprecisamente altos. O isolamento foi comprovado como o único método bem-sucedido de anulação de contaminação por carbono-14 artificial, comparado a tentativas de limpeza vigorosa. Laboratórios químicos totalmente separados e medidas extremas de validação de detecção são necessários para laboratórios que foram expostos a carbono-14 artificial. Os requerimentos aceitos são:

(1) a divulgação ao cliente de que o laboratório em que se encontram suas amostras trabalha com carbono-14 artificial
(2) laboratórios químicos em edifícios separados: um para o manuseio de carbono-14 artificial, e outro para amostras biobaseadas
(3) equipes de pessoal separadas que não entrem uma no edifício da outra
(4) o não compartilhamento de áreas comuns, como refeitórios e escritórios
(5) o não compartilhamento de insumos ou químicos entre os dois
(6) medições de garantia de qualidade quase simultâneas entre o detector que valida a ausência de contaminação e o detector em si.

Serviços rápidos e não terceirizados

Não terceirizamos trabalho para outros laboratórios. A nossa política é a de ter contato direto com os nossos clientes, manter a cadeia de custódia completa na garantia de qualidade, usar as nossas próprias máquinas de AMS e ter o conhecimento funcional completo de cada análise, para que tenhamos as melhores respostas após a disponibilização dos resultados.

Somos capazes de oferecer serviços tão rápidos porque todas as análises são feitas em instalações próprias. Possuímos múltiplos aceleradores, e uma equipe de técnicos e cientistas dedicada integralmente e que cumpre horas extras, quando necessário, para assegurar os prazos prometidos.

Para consultas, por favor envie um email para info@betalabservices.com ou telefone para +(1) 305-662-7760.

Clientes do Beta Analytic que enviarem amostras com carbono-14 artificial, marcado ou com traçadores serão responsabilizados pelos danos causados e pelos custos de limpeza, de acordo com os nossos Termos e Condições de Serviços

Referências:

ASTM D6866 – Standard Test Methods for Determining the Biobased Content of Solid, Liquid, and Gaseous Samples Using Radiocarbon Analysis.

Memory effects in an AMS system: Catastrophe and Recovery. J. S. Vogel, J.R. Southon, D.E. Nelson. Radiocarbon, Vol 32, No. 1, 1990, p. 81-83 doi:10.2458/azu_js_rc.32.1252 (Open Access)

Recovery from tracer contamination in AMS sample preparation. A. J. T. Jull, D. J. Donahue, L. J. Toolin. Radiocarbon, Vol. 32, No.1, 1990, p. 84-85 doi:10.2458/azu_js_rc.32.1253 (Open Access)

Prevention and removal of elevated radiocarbon contamination in the LLNL/CAMS natural radiocarbon sample preparation laboratory. Zermeño, et. al. Nuclear Instruments and Methods in Physics Research Section B: Beam Interactions with Materials and Atoms Vol. 223-224, 2004, p. 293-297 doi: 10.1016/j.nimb.2004.04.058

High level 14C contamination and recovery at XI’AN AMS center. Zhou, et. al. Radiocarbon, Vol 54, No. 2, 2012, p. 187-193 doi:10.2458/azu_js_rc.54.16045

Última atualização: março de 2022