Medindo o Conteúdo Renovável Pelo Método ASTM D6866

  • Pelo método ASTM D6866 é possível medir o conteúdo biogênico dos combustíveis sólidos ou líquidos, bem como as emissões geradas por eles durante a combustão.
  • Este teste é uma ferramenta precisa de monitoramento e verificação para as estratégias de crédito e compensação de carbono.
  • A Beta Analytic presta serviços de análise através do método ASTM D6866 para várias empresas, ajudando-as a cumprir com os regulamentos ou a aproveitar certas iniciativas.

Dados Gerais Sobre o Método ASTM D6866

ASTM D6866 se refere aos métodos padronizados de análise para determinar o conteúdo de base biológica de amostras sólidas, líquidas e gasosas, usando a análise por radiocarbono. Os métodos incluem a Contagem de Cintilação Líquida (CCL), Espectometria de Massa com Aceleradores (EMA) e técnicas de Espectometria de Massa de Razão Isotópica – EMRI (ou IRMS, em inglês).

O método ASTM D6866 foi adotado pela primeira vez em 2004. Algumas revisões foram feitas desde então. Alguns protocolos ou relatórios oficiais podem fazer referência a esta norma como ASTM D6866-04, ASTM D6866-04a, ASTM D6866-05, ASTM D6866-06, ASTM D6866-06a, ASTM D6866-10, ASTM D6866-11 ou ASTM D6866-12. A versão atual vigente da norma é ASTM D6866-16, em efeito a partir de junho de 2016.

O padrão ASTM D6866 foi concluído em 2004 e atualmente é citado na Lei Federal (7 CFR parte 2902). Ele é utilizado para analisar produtos manufaturados que virão a ser incluídos na lista preferencial de aquisições do Governo Federal. Este padrão foi elaborado por solicitação do USDA para atender às legislações que requerem que as agências federais dêem preferência à aquisição de produtos com o maior conteúdo possível de biomassa renovável (ao invés de plásticos ou outros componentes fósseis) em seus produtos, tal como determina a “Farm Bill de 2002” (lei agrícola dos EUA). Foi necessário desenvolver um método padronizado para verificar as afirmações feitas pelos fabricantes em relação ao conteúdo renovável de seus produtos. A datação por radiocarbono era diretamente relevante para este propósito, mas esta indústria não tinha nenhuma regulamentação. Foi necessário que o USDA passasse a padronizar as técnicas e os processos de prestação de contas para que os mesmos fossem incluídos em políticas de regulamentação.

Página oficial do método ASTM D6866

Princípios que fundamentam o método ASTM D6866

Os níveis naturais de radiocarbono encontrados em materiais orgânicos são utilizados para que se chegue a um resultado através do uso do método ASTM D6866. Nenhuma “radioatividade”, tal como é definida pelos órgãos de regulamentação, é utilizada na análise.

Carbono 14 ou radiocarbono – um elemento levemente radiativo e naturalmente presente em todas as substâncias vivas – está presente em um nível definido. A biomassa contemporânea tem um teor de 100% de radiocarbono e está ausente (0%) nos combustíveis fósseis. O método ASTM D6866 utiliza esta diferença para determinar a quantia de CO2 proveniente de biomassa em comparação com a quantia de CO2 proveniente de componentes fósseis. Este método foi utilizado para quantificar o CO2 proveniente de biomassa no CO2 como um todo (ou metano) de efluentes derivados da combustão e de fontes bacteriológicas.1

Método Simples e Preciso

Uma média real entre as emissões de CO2 de carbono neutro e as emissões de CO22 fósseis é obtida através da ligação de um controlador de fluxo contínuo de gás a uma porta de escape de sistemas existentes de monitoramento contínuo de emissões – SMCE (ou CEMS, em inglês). Devido ao fato das matérias-primasdas fábricas de co-incineração variarem ao longo do mês, todas as variações relativas ao carbono de biomassa e carbono fóssil são contabilizadas em um mesmo resultado (representando a média de ambos os componentes representados no efluente com CO2).

Não é necessário cortar, separar ou pesar os combustíveis mistos para definir as emissões de gases de efeito estufa eas emissões de gases de carbono neutro. Esta abordagem “back-end” fornece um resultado que indica “o que foi feito”, ao invés de estimativas complexas baseadas no “que achamos que fizemos” derivadas da abordagem “front-end”.

A organização “The Institute of Clean Air Companies (ICAC)” examinou e reconheceu o papel que o método ASTM D6866 exerce na análise de gases de efeito estufa (consulte os detalhes aqui).

Uma vez que um valor percentual único é universalmente aplicável à todas as medições, os órgãos de regulamentação e financeiros recebem uma única referência para o monitoramento comparativo e as atividades comerciais.

Estudos estão em andamento para testar a aplicabilidade do resultado ao valor calorífico bruto (energia/calor). Estudos-piloto estão em fase de planejamento na organização “Renewable Energy Association” no Reino Unido e no “Electric Power Research Institute (EPRI)”, nos EUA.

Importância do padrão ASTM D6866

As empresas podem se beneficiar dos resultados laboratoriais obtidos pelo método ASTM D6866 em dois dias. Dependendo da regulamentação em vigor nos países onde estão localizadas, elas podem usar os resultados para provar que estão com um inventário diminuido de gases de efeito estufa. Para as empresas localizadas em países que possuem um programa de “limite e comércio” (ou “cap-and-trade”) em funcionamento, os resultados obtidos pelo uso do método ASTM D6866 podem ajudá-las na obtenção de mais créditos de carbono.

Por exemplo, uma empresa que possui uma fábrica de co-incineração e que consome 50% de palha e 50% de carvão pode diminuir seu inventário de GEE em 50%. As emissões de dióxido de carbono geradas através da combustão da palha são de carbono neutro e podem ser deduzidas do inventário de GEE da empresa. Alcançando um nível mais baixo de emissões, a empresa pode cumprir com os regulamentos e obter créditos de carbono, sehouver um sistema de “limite e comércio” (“cap-and-trade”) em vigor no país onde está localizada.

O método ASTM D6866 é atualmente utilizado para verificar a fração biogênica (de biomassa) dos combustíveis heterogêneos e das suas emissões de CO2, tal como é requerido nos protocolos ligados aos gases de efeito estufa. Este método foi incorporado aos protocolos de prestação de contas nos EUA, na Austrália e Europa. Uma variação do método ASTM D6866, conhecida como CEN/TS 15747:2008 é utilizada para monitorar os combustíveis derivados de resíduos para o Esquema de Comércio de Emissões da União Européia.

A União Européia também permite o uso do método ASTM D6866 para monitorar outros tipos de combustíveis heterogêneos. O Governo Australiano incorporou recomendações semelhantes no que diz respeito ao uso do método ASTM D6866 na análise de combustíveis misturados. O programa de certificação conhecido no Reino Unido como “The Renewable Obligation Certificate program” também está considerando este método para o monitoramento da geração de energia a partir de biomassa. Este método também foi incorporado à metodologia do Mecanismo de Desenvolvimento Limpo das Nações Unidas no que diz respeito ao manejo de resíduos sólidos.

Beta Analytic ASTM D6866 Laboratório

Sediada em Miami, na Flórida, e com certificação ISO/IEC 17025:2005,a Beta Analytic tem o compromisso de ajudar os seus clientes a atenderem regulamentos, prestando serviços de alto nível e utilizando o método ASTM D6866. Ao contrário dos laboratórios de universidades, o laboratório da Beta Analytic pode fornecer resultados a partir de apenas uma semana depois de receber as amostras. Serviços mais rápidos também estão disponíveis aos clientes dos EUA, sendo que os resultados são disponibilizados depois de 48 horas. A empresa tem um escritório em Londres, no Reino Unido, para a conveniência dos clientes de toda a Europa. Os clientes do Japão e da China também são melhor servidos pelas instalações e pelos representantes de desenvolvimento de negócios da Beta Analytic em seus respectivos países.

1. Mook, W. G. The Effect of Fossil Fuel and Biogenic CO, on the 13C and 14C Content of Atmospheric Carbon Dioxide. RADIOCARBONO, VOL. 22, No. 2, 1980, P. 392-397.

2. SrdoZ, Dugan; Ahel, Nada Marijan; Giger, Walter; Schaffner, Christian; Bronid, Ines Krajcar; Petricioli, Don at; Pezdie, Jofe; Marcenko, Elena; Plenkovie-Moraj, Andjelka. Anthropogenic Influence on the 14C Activity and Other Constituents of Recent Lake Sediments: A Case Study. RADIOCARBONO, VOL. 34, No. 3, 1992, P. 585-592.